Para facilitar a identificação de profissionais de educação física e estagiários que atuam no mesmo ambiente, o Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região (CREF8) estabeleceu novas regras quanto às diferenças nos uniformes. A Resolução foi publicada nesta semana, no Diário Oficial da União, e foi concedido prazo de 180 dias para as empresas se ajustarem.

A partir de agora, os estagiários deverão usar uniforme em cores diferenciadas daquelas utilizadas nos uniformes dos profissionais de educação física. O objetivo, segundo o presidente do CREF8, Jean Carlo Azevedo, é assegurar aos consumidores a possibilidade de identificá-los mais facilmente.

“Detectamos que os uniformes utilizados por profissionais e estagiários em muitos estabelecimentos são os mesmos ou muito parecidos, o que pode acabar confundindo o consumidor. Com isso, estagiários estão assumindo indevidamente o papel de professor. A nossa intenção é garantir que o estágio seja supervisionado e que as pessoas tenham a certeza que a orientação está sendo realizada por um profissional formado e habilitado”, explicou.

Nos locais onde são desenvolvidas atividades aquáticas, a diferenciação poderá ser feita através do uso de touca e/ou roupa de banho em cor específica para os estagiários. Já os estabelecimentos que utilizam designações impressas, bordadas ou aplicadas de modo ostensivo nos uniformes, deverão incluir a designação “estagiário” nos trajes usados pelos estudantes.

Ainda segundo Azevedo, a identificação não poderá ser feita através de crachás, chapéus ou braçadeiras. “Esses ou outros dispositivos facilmente destacáveis do uniforme podem dificultar a aplicação da regra e a fiscalização, uma vez que os estudantes poderão colocá-los ou tirá-los a qualquer momento”, informou.

Para garantir que estabelecimentos e profissionais liberais da área possam se adaptar às novas regras dentro do prazo determinado, o Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região, que atua no Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima, enviou um comunicado a todos que possuem o registro na instituição. Além disso, os agentes passarão informações sobre o tema durante as ações de fiscalização e orientação.