A atuação ilegal do profissional de educação física foi uma das principais irregularidades flagradas pelo Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região (CREF8) nas fiscalizações realizadas no Amazonas em 2014. De acordo com números divulgados, no relatório anual da instituição, foram efetivadas 571 autuações no Amazonas.

As ações de fiscalização promovidas pelos Conselhos Regionais de Educação Física têm por objetivo garantir que a atividade física seja praticada com saúde e segurança. Segundo dados do CREF8, estabelecimentos como academias, escolas e estúdios, sem a coordenação de um profissional de educação física habilitado para exercer a profissão e com condições físicas adequadas, representam 81% das autuações efetivadas.

O relatório ainda apontou que o número de registro de academias por ano aumentou de 25, em 2013, para 54, em 2014, totalizando 260 academias registradas no Amazonas. Esse acréscimo se deve a uma série de ações, debates e eventos realizados pelo Conselho com o intuito de conscientizar os profissionais e a população sobre os riscos oferecidos por estabelecimentos irregulares e o exercício ilegal da profissão.

Além disso, foram promovidas blitze nas academias, em parceria com órgãos como a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e o Departamento de Vigilância Sanitária (Dvisa), resultando um grande número de notificações. Somente em Manaus, esse trabalho gerou a interdição de 37 estabelecimentos.

“Estamos investindo bastante em fiscalização e nosso objetivo é diminuir ao máximo o exercício ilegal da profissão para que a sociedade seja beneficiada pela promoção de atividade física orientada por profissionais habilitados. Por isso, o foco esteve bastante voltado para academias, praças e clubes. Mas, este ano, expandiremos esse trabalho para as escolas para garantir que os alunos tenham professores de educação física registrados e, com isso, mais segurança”, afirmou o presidente do CREF8, Jean Carlo.

FiscalizacaoCREF82